Magaly Prado - Notícias sobre Rádio z

Coloque o selo da Magaly no seu site!

O blog da Magaly vira sua página principal

Adicione ao seu Del.icio.us

Lançamento do meu livro foi dia 7/6 na Fnac Paulista. Saiba mais Veja as fotos

Add to Technorati Favorites

Quem é cadastrado ganha brindes. Cadastre-se agora

  Top ten do leitor-ouvinte

Dial FM de SP:
   Gazeta
   89
   Nova Brasil

 Dial completo
 Dials de outras cidades

 Curiosidades

Computando seu voto...
Carregando resultado

Total de votos:

RSS: Clique com o botão direito do mouse sobre a pílula laranja e copie o endereço RSS deste blog para seu leitor preferido

XML/RSS Feed

www.flickr.com
This is a Flickr badge showing photos in a set called Radiofotos. Make your own badge here.


AUDIOCIDADES COMENTADO NO CAMPUS PARTY 2008

Gilson Schwartz vai falar às 17h aqui no Campus Party. Contará como é desenvolvido o trabalho na Cidade do Conhecimento da USP. Vai falar do projeto Audicidades, que fizemos por lá. ....

O professor polêmico da USP já falou. Pena que falou pouco e passou seu microfone para todos seus parceiros presentes, entre eles, Marco Chiaretti. Gilson incitou seu colega a comentar aquele incidente em roda de debates no Estadão, quando Gilson tascou que tem muito blogueiro que escreve abobrinhas. Olha só a cara de conteúdo do Marco!

 



Escrito por Magaly Prado às 16h37
[ ] [ envie esta mensagem ]


CRIAÇÃO DE CENAS SONORAS NO CAMPUS PARTY 2008

Palestra-Show OpenAUDIENCE - Fazendo seu próprio sourrond

surround-sound-spherical_5638.jpg

Do blog oficial Campus Party - O OpenAUDIENCE é um software para criação de cenas sonoras 2D/3D capaz de realizar a espacialização de uma tomada de som com várias fontes sonoras em tempo real com saída de som flexível e escalável de 2 caixas (ou fones de ouvido) até 8 alto-falantes, produzindo em formatos surround, como o utilizado no DVD e na TV digital.

A palestra-oficina apresentará o projeto desenvolvido pelo grupo de Engenharia de Áudio e Codificação Sonora do LSI da Escola Politécnica e as perspectivas de utilização deste software para um grande público interessado em produzir seu próprio som surround. Veja mais detalhes sobre o projeto

Espacializando ao Vivo

No OpenAUDIENCE show, uma cena sonora de uma banda tocando ao vivo será manipulada em tempo real e espacializada em Surround para audição num espaço com 6 alto-falantes.

É hoje, às 15:30h, no palco de Criatividade!



Escrito por Magaly Prado às 14h15
[ ] [ envie esta mensagem ]


RÁDIOS NO CAMPUS PARTY

Aqui no Campus Party 2008, você pode visitar os stands da CBN, da Rádio Cultura AM, de São Paulo, e da Agência Radioweb. Onde estão as outras?

Acabou de rolar a palestra com Demi Getschko, considerado o pai da internet.



Escrito por Magaly Prado às 13h21
[ ] [ envie esta mensagem ]


JUAN PASTOR COMANDA A RÁDIO NA INTERNET DO BAR NA MATA CAFÉ, a NA MATA RÁDIO

Juan Pastor, que um belo dia largou emprego com bom salário para começar carreira radiofônica, desde a função de office-boy até a de coordenador e que passou por váááááárias funções e cargos dentro de uma emissora, foi convidado a comandar a rádio na internet da Na Mata Café. Se considerarmos sua larga experiência em rádio e sua dedicação no trabalho, claro que a rádio será interessante de ouvir.
 
Juan Andreas e o papai Juan, do orkut dele
 
Espero que sim! Boa sorte, Juan, capricha, hein? Escolheram moldar o repertório em músicas dos anos 80 para cá. Isso é bom, pois não fica presa em tocar apenas os lançamentos. Gosto de rádios desprendidas das "músicas-de-trabalho" ou "músicas-de-compromisso". Vamos ouvir e opinar aqui?
 
AAhhh costumo chamar rádios na internet e não webradio, afinal, não precisamos estar necessariamente na web para ouvi-las, certo? Basta entrar em um dos tocadores de som no computador e pronto.
 
Aaahhhh2: quem não sabe o que é Na mata Café? É um bar de São Paulo.
 
Estamos na escuta...  
 
Do AdNews- As Web Rádios cresceram 65% no último ano em todo o mundo, onde começam a serem ouvidas até mesmo nos carros e já oferecem o download da música enquanto esta está sendo executada, entre outras facilidades.
Desde as primeiras conversações sobre este projeto pioneiro, há 1 ano, a busca foi pela excelência, tanto tecnológica como artística. O som digital é de última geração compatível com o utilizado nas transmissões das mais modernas rádios FM: 256 KPPS. Isto significa que a qualidade do som será melhor que as comandadas pelo mega grupo de entretenimento Virgin com som semelhante gerado pelos CDs.
Enquanto as Web Rádios existentes no Brasil transmitem em 128K, o programa AVID, o mesmo utilizado pelos filmes Toy Story e A Era do Gelo, permite a transmissão com altíssima qualidade, mas com apenas 600k, o que facilita o acesso a máquinas menos potentes. Seu software avançado de base de dados irá proporcionar um atendimento personalizado. Quem responde pela área é Pablo Martins.

Cliff Li e Carlinhos Almeida chamaram para a direção artística Juan Pastor,
que atualmente é diretor de criação do programa "Pânico" da Jovem Pan e na Rede TV.* Pastor comandou também vários programas de sucesso na 89FM e é ganhador de vários prêmios APCA. Ele promete uma programação diferenciada mesclando os grandes sucessos dos anos 80, 90, 2000, dos mais variados estilos: Rock, pop, reggae, dance, eletrônico, MPB, contando sempre com a participação do ouvinte. Este é outro grande diferencial da Rádio Na Mata, já que as Web Rádios existentes no Brasil apenas reproduzem um play list, sem uma programação consistente e sem a interação com seus ouvintes.
No futuro próximo serão oferecidas promoções inovadoras, programas especiais e transmissões dos shows que acontecem no Na Mata Café. O estúdio, ainda em construção funcionará no 2º andar do Na Mata Café, mas a rádio já está no ar.
 
*trabalha na equipe do programa "Pânico" da Rádio Jovem Pan e na Rede TV.


Escrito por Magaly Prado às 10h42
[ ] [ envie esta mensagem ]


Uma Radiobrás sem ''eira''?, por Eugênio Bucci

Eugênio Bucci (*)

Do Comunique-se . Fonte:O Estado de S. Paulo

A Medida Provisória (MP) nº 398, de 9/10/2007, que autorizou o governo federal a criar a Empresa Brasil de Comunicação (EBC), responsável pela TV Brasil, está prestes a perder a eficácia. Prorrogada por 60 dias em dezembro, ela agora bate no prazo fatal: ou é aprovada, mesmo que com modificações ou substituição, ou morre. Se morrer, levará junto a EBC, que já começou a operar com funcionários próprios. Mas, atenção, não arrastará consigo a TV Brasil.

A explicação é simples. Na hipótese de naufrágio da EBC, a TV Brasil poderá continuar suas transmissões abrigada pela velha Radiobrás - esta deveria ser extinta para dar lugar à nova empresa, mas se manteve em atividade. Assim, os que pretendiam derrotar a MP para forçar o fechamento da TV Brasil caíram do cavalo. Isso não significa que a matéria se tenha tornado irrelevante. Ao contrário. A sobrevivência ou não de mais um canal de TV da administração pública é o de menos (já há dezenas de emissoras desse tipo no País, tanto no âmbito estadual como no federal). O debate central tem que ver, isto sim, com a estrutura que deve ter uma instituição moderna de comunicação pública, agenda que merece a melhor atenção dos representantes do povo. É a primeira vez, em décadas, que o tema entra para valer na pauta do Congresso.

Se a questão se resumisse a lançar mais uma estação de TV, o governo federal não teria de inventar empresa alguma. A ele bastariam as entidades que já existem: a Radiobrás, cujos diretores e conselheiros são nomeados e demitidos pela Presidência da República a qualquer tempo; e a TVE do Rio de Janeiro, que, embora tenha a forma de organização social e não de empresa pública, também tem seus conselheiros e dirigentes feitos e desfeitos pelo Palácio do Planalto. Juntas, as duas somam aproximadamente 2.500 empregados e contam com emissoras de rádio e TV em Brasília, no Rio de Janeiro e no Maranhão.

Além disso, essas velhas estruturas guardam a cultura de promoção pessoal das autoridades, coisa que alguns expoentes do Executivo, de variados matizes partidários, apreciam em silêncio. Nos canais oficiais e (supostamente) públicos do Brasil inteiro, a chapa branca é a regra, ressalvadas as honrosas exceções - que existem, ou existiram, ajudando a demonstrar a natureza antidemocrática da velha comunicação governista. Portanto, mais grave do que o risco de a TV Brasil passar a bajular governantes - um risco real, mas um risco futuro - é a cultura de subserviência cristalizada do presente.

Em resumo, a MP 398 não surgiu porque o governo precisa de autorização para abrir um canal de TV, mas porque ele precisa propor mudanças no modelo sabidamente ultrapassado, se quiser conquistar legitimidade para a sua iniciativa. De poucos anos para cá, a opinião pública despertou para a gravidade da usurpação que vitima emissoras públicas e reclama por uma renovação. A MP veio prometer uma resposta a isso. Seu problema é que promete, mas não entrega.

Há mais debilidades que acertos na MP, a começar por sua natureza de medida provisória, que não deixa muito espaço para a elaboração legislativa - um projeto de lei seria mais adequado. Quanto aos acertos, registre-se o principal: fundir a Radiobrás e a TVE do Rio numa nova instituição, que centralize operações hoje dispersas, por vezes superpostas e redundantes, constitui um passo de racionalidade administrativa. No mais, a EBC tem o semblante - e a nomenclatura - de uma Radiobrás recauchutada. A velha estatal nasceu nos anos 70 com o nome de Empresa Brasileira de Comunicação. A estatal nova se chama Empresa Brasil de Comunicação e, em muitos aspectos, é isso mesmo: uma Radiobrás sem o sufixo ''eira''. Vejamos mais de perto a sua constituição.

A exposição de motivos assinada pelos ministros Franklin Martins, Dilma Rousseff e Paulo Bernardo fala em ''preocupação presente de garantir a autonomia da nova empresa, por meio da criação de mecanismos institucionais protetores dos dois flancos que poderiam se constituir em ameaças: a subordinação às diretrizes do governo e o condicionamento às regras estritas de mercado''. Muito bem. Ocorre que tanto a MP como o Estatuto da EBC, apresentado pelo Decreto Presidencial nº 6.246, de 24/10/2007, não dão conseqüência àquela ''preocupação''. Em relação à falta de independência do modelo antigo, o avanço é quase nulo. Basta ver como se compõe o ''órgão de orientação e de direção superior da EBC'', o Conselho de Administração (ver artigos 14 e 15 do Estatuto e artigos 12 e 13 da MP). São cinco membros. O ministro da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República indica dois deles. O terceiro é o diretor-presidente da empresa. Os outros dois vêm do Ministério do Planejamento e do Ministério das Comunicações. A esse conselho cabe eleger e destituir os diretores da EBC, à exceção de dois, o diretor-presidente e o diretor-geral, nomeados diretamente pelo presidente da República. Ora, pode haver estrutura mais passível de ''subordinação às diretrizes do governo''? Pode haver algo de mais semelhante à antiga Radiobrás?

A novidade se resume à presença de outro conselho, o Curador, que tem um representante eleito pelos funcionários e ''representantes da sociedade civil'' - designados, note o leitor, também pelo presidente da República. O Conselho Curador é vistoso, mas não manda. Embora esteja autorizado a, por maioria absoluta, imputar voto de desconfiança aos diretores, tem funções mais consultivas que deliberativas.

Agora, o Congresso pode transformar essas tímidas adaptações em uma renovação de verdade. Recusar sumariamente a MP não seria um gesto sábio. Os parlamentares têm nas mãos a chance de criar - ou abrir caminho para que seja criada - uma instituição de comunicação pública que seja de fato independente do governo.

(*) Jornalista, membro eletivo do Conselho Curador da Fundação Padre Anchieta (TV Cultura de São Paulo), professor do Instituto de Estudos Avançados da USP, foi presidente da Radiobrás entre 2003 e 2007 - publicado no jornal O Estado de S. Paulo, edição de 14/02/08.



Escrito por Magaly Prado às 00h33
[ ] [ envie esta mensagem ]


NO CAMPUS PARTY 2008 O DEBATE ROLA SOLTO

No Campus Party, Heródoto Barbeiro, da CBN, mediou um debate sobre nova economia, mas que descambou para uma discussão insana que diferenciava fervorosamente quem era jornalista e quem era blogueiro jornalista. Calma, todos informam, a diferença é o formato de entrega de conteúdo.

 

Myris Silva é a única do Acre que encontrei aqui no Campus Party 2008. Ela é socióloga e ambientalista. Estava ouvindo a desconferência, mas debandou no meio.



Escrito por Magaly Prado às 19h24
[ ] [ envie esta mensagem ]


CAMPUS PARTY 2008

Aqui no Campus Party gravando audiocast livre com quem cruzo, à deriva. Só tem gente antenada. Na verdade, poucos radialistas, poucos mesmo. Acabo de conversar com a menina Letícia Alves, 10, do Educom.radio (ela é a primeira à esquerda). Foi uma conversa mútua: ela me entrevistou e eu a entrevistei.



Escrito por Magaly Prado às 15h24
[ ] [ envie esta mensagem ]


AS 15 RÁDIOS MAIS OUVIDAS ENTRE OS PAULISTANOS

Do site Rádio Agência, a evolução das emissoras de rádio FM de São Paulo. Os dados foram obtidos através do cruzamento de informações das agências de publicidade, emissoras de rádio e clientes diretos. Tomamos como base a audiência geral - todos os dias. Quem sobe, quem desce e quem ficou estável no último mês.

Desce Sobe Mantém posição

 Nativa FM - 95.3 MHz

 Mix FM - 106.3 MHz

Transcontinental FM - 104.7 MHz

  Tupi FM - 104.1 MHz

 89FM - 89.1 MHz

 Metropolitana FM - 98.5 MHz

 105 FM - 105.1 MHz

 Jovem Pan FM - 100.9 MHz

 Gazeta FM - 88.1 MHz

 Band FM - 96.1 MHz

 Alpha FM - 101.7 MHz

Nova Brasil FM - 89.7 MHz

 Antena 1 - 94,7 MHz 

 Kiss FM - 102,1 MHz

 Vida FM - 96,5 MHz



Escrito por Magaly Prado às 12h30
[ ] [ envie esta mensagem ]


AS 15 RÁDIOS MAIS OUVIDAS ENTRE OS CARIOCAS

Do site Rádio Agência, a evolução das emissoras de rádio FM do Rio de Janeiro. Os dados foram obtidos através do cruzamento de informações das agências de publicidade, emissoras de rádio e clientes diretos. Tomamos como base a audiência geral - todos os dias. Quem sobe, quem desce e quem ficou estável no último mês.

Desce Sobe Mantém posição



FM O Dia - 100.5 MHz

Rede Melodia - 97.3 MHz

 Nativa FM - 96.5 MHz

 93 FM - 93.3 MHz

 98 FM - 98.1 MHz

 Mix FM - 102.1 MHz

 JB FM - 99.7 MHz

 107 FM

 Antena 1 - 103.7 MHz

MPB FM - 90.3 MHz

 Paradiso FM - 95.7 MHz

 Rede Aleluia - 105.1 MHz

 Transamérica Pop - 101.3 MHz

 Catedral FM - 106.7 MHz 

 Oi FM - 102.9 MHz 



Escrito por Magaly Prado às 12h26
[ ] [ envie esta mensagem ]


4ª EDIÇÃO DO TROFÉU MULHER IMPRENSA. VOTE NAS MELHORES RADIALISTAS

Segunda fase da votação nas mulheres do rádio para ganhar o Troféu Mulher Imprensa vai até amanhã. Vote.

Participe também e homenageie as mulheres do jornalismo.

Chegou o momento de você votar na jornalista de mais destaque em 2007. Foi dada a largada para a 4ª edição do Troféu Mulher IMPRENSA. Uma realização da revista IMPRENSA em parceria com a ABERJE e o MaxPress, esse é um prêmio que visa homenagear as mulheres do jornalismo brasileiro.

Atenção: as votações irão até o dia 15/02

Categoria 4 - Âncora de rádio

Ana Lúcia Moretto (Bandnews FM)
Filomena Salemme (Rádio Eldorado)
Maria Lydia (Jovem Pan)
Patrícia Palumbo (Rádio Eldorado)
Roxane Ré (CBN)

 

Carolina Ercolin (Rádio Bandeirantes)
Cátia Toffoletto (CBN)
Flávia Murr (Rádio Atlântida – FM)
Giane Guerra (Rádio Gaúcha)
Josélia Pegorim (Rádio Eldorado)
Monica Pocker (CBN)

 

Denise Campos de Toledo (Jovem Pan)
Lizemara Prates (Rádio Guaíba)
Lúcia Hippolito (CBN)
Miriam Leitão (CBN)
Mônica Bergamo (Bandnews FM)


 



Escrito por Magaly Prado às 11h18
[ ] [ envie esta mensagem ]


NOVA BRASIL FM REÚNE VÁRIAS CANTORAS EM UM PROGRAMA

ENCONTROS

Dia 17/02/08

AS NOVAS MUSAS DA MODERNA MÚSICA BRASILEIRA 

(Céu, Ana Cañnas, Helena Elis, Bruna Caram, Roberta Sá, Mariana Aydar, Luiza Possi, Isabela Tabiani, Vanessa da Mata e Danni Carlos)



Escrito por Magaly Prado às 00h01
[ ] [ envie esta mensagem ]


CBN no CAMPUS PARTY

A CBN cobre a Campus Party que rola no Ibirapuera em São Paulo. Profissionais da CBN dão palestras todas as noites, às 20h. Hoje é a vez de Juca Kfouri. Milton Jung (que falou para os campuseiros na abertura, dia 11) tira uma onda dele em post publicado no blog específico da CBN, na Bienal. Veja:

Ju(rássi)ca Kfouri cai na festa (Por Mílton Jung)

Reina grande expectativa, como diriam os velhos locutores esportivos. Depois do futurístico robô Quasi, entrevistado em um furo de reportagem pela incansável Fabiana Novello, a 1ª Campus Party Brasil receberá a visita de Juca Kfouri, logo mais às oito da noite. Nos flagrantes acima, o nosso queridíssimo vovô busca informações sobre o encontro, neste blog da CBN. Será uma ótima oportunidade para traçarmos um paralelo entre a festa dos campuseiros e a Exposição Internacional do Rio de Janeiro, em 1922, quando Juca participou da primeira transmissão de rádio, no Brasil.  



Escrito por Magaly Prado às 16h09
[ ] [ envie esta mensagem ]


SÉRGIO SANTOS DEIXA ELDORADO. FILOMENA SALEMME OCUPA SEU LUGAR

Do Comunique-se -

Sérgio Santos deixa a Eldorado depois de seis anos

Depois de seis anos, Sérgio Santos deixa a Eldorado. Atualmente ocupava o cargo de editor-chefe. Sérgio entrou na empresa como repórter e foi também chefe de reportagem e chefe de redação. Participou da criação da parceria Eldorado ESPN - vencedora do prêmio APCA 2007 e também da estruturação editorial da Rede Eldorado de Rádio.

No lugar de Santos fica Filomena Salemme, até então chefe de redação.

O jornalista pretende continuar atuando em redações. Contatos: sergiosantosnews@gmail.com / (11) 9230 5083 .

Notícia enviada por:
Sérgio Santos*******



Escrito por Magaly Prado às 15h53
[ ] [ envie esta mensagem ]


Rádios e TVs públicas da França param hoje

Do AdNews - Funcionários das principais redes de televisão e rádios públicas da França - France Télévisions, Radio France, RFI, e TV5 - devem parar hoje numa greve. Eles protestam contra o anúncio do presidente Nicolas Sarkozy de que irá acabar com a publicidade no setor. O apelo dos sindicalistas à greve foi aceito por 11 mil trabalhadores. Os sindicatos prometem uma mobilização "sem precedentes", e anunciaram que jornalistas, técnicos e outros funcionários vão cruzar os braços hoje. O fim da publicidade nas TVs e rádios públicas vai causar um corte de C 800 milhões de receita.

No total, as televisões e rádios públicas terão um gasto adicional de C 1,2 milhão - calculam os sindicatos - já que, além do corte da receita com publicidade, terão que criar novos programas no lugar nos anúncios. É com isso que os sindicatos se preocupam: e se não houver dinheiro para tapar o buraco causado com o fim da receita? Os sindicatos dizem defender a "perenidade do serviço público audiovisual, seu financiamento e respeito ao pluralismo".
Governo estuda taxação de operadoras de celular O governo garantiu ontem num encontro com sindicalistas que a perda da receita será compensada "euro por euro" e que não há risco de privatização.

Para cobrir os gastos adicionais, o governo estuda a taxação das operadoras de
telefone celular e da internet, ou ainda sobretaxar as receitas publicitárias das redes privadas de TV e rádio.
Jean François Téaldi, representante dos sindicalistas, não saiu convencido do encontro.
- Eles (o governo) estão conscientes de que estas alternativas de financiamento não solucionarão totalmente o problema - disse o sindicalista. Téaldi queixou-se que Sarkozy tomou uma decisão que vai mexer com a paisagem audiovisual francesa sem ter um plano de financiamento. (por Deborah Berlinck - O Globo)

***

E o projeto de Rádio Pública Brasileira, hein? Em que pé estará? Estive no I Fórum de Rádios Públicas ano passado e depois disso não obtive mais nenhuma informação.


 



Escrito por Magaly Prado às 15h04
[ ] [ envie esta mensagem ]


PALESTRA SOBRE PODCAST NA ÁREA CAMPUS BLOG DO CAMPUS PARTY

Estou no Campus Party gravando audiocast livre. Cerca de 3 mil internautas e especialistas em internet reunidos no prédio da Bienal, no Ibirapuera em São Paulo.Diego Franco fala sobre podcast. Conceitos básicos e sua experiência com o Baixaria. 

Entre

Campus TV no ar!

campusstreaming.gif

 streaming ao vivo da Campus TV



Escrito por Magaly Prado às 15h34
[ ] [ envie esta mensagem ]


PROGRAMA

FORA DE SÉRIE TRAZ ESPECIAL COM O DUO SWING OUT SISTER

 

Um dos melhores exemplos de pop elegante de que se tem notícia é o duo inglês SWING OUT SISTER. O início da carreira foi em 1985 como trio, formado por CORINNE DREWERY, ANDY CONNELL e MARTIN JACKSON. Dois anos depois veio o primeiro single, Breakout, sucesso em todo o mundo. Na sequência, o primeiro álbum, It’s Better To Travel.

Em 1989 saiu o segundo disco, Kaleidoscope World, que trazia arranjos de um dos gênios do pop, o maestro e compositor norte-americano Jimmy Webb. Nessa época o SWING OUT SISTER sofreu uma baixa com a saída de Martin Jackson. Corinne Drewery e Andy Connell seguiram adiante.

Atualmente a dupla tem seu público mais fiel no Japão, tanto é que os novos CDs saem primeiro no mercado nipônico para lançamento posterior na Inglaterra. Nem nos Estados Unidos os discos são lançados, o mesmo ocorrendo em relação ao Brasil, infelizmente.

 

Nesta semana, o FORA DE SÉRIE, programa produzido e apresentado pelo jornalista e radialista TONINHO SPESSOTO e transmitido todas as quintas-feiras às 21 horas pela REDE USP DE RÁDIO, traz um especial dedicado ao SWING OUT SISTER com alguns dos seus maiores hits. Entre as canções, Breakout, You On My Mind e sensacionais releituras de La La Means I Love You (Delfonics) e Stoned Soul Picnic (de Laura Nyro, gravada originalmente pelo 5th Dimension). (por 2T COMUNICAÇÃO)

 

FORA DE SÉRIE

Produção e Apresentação: TONINHO SPESSOTO

Quintas-Feiras, às 21 horas

REDE USP DE RÁDIO

93,7 MHz – São Paulo

102,1 MHz – São Carlos

107,9 MHz – Ribeirão Preto

www.radio.usp.br 

 

 



Escrito por Magaly Prado às 16h10
[ ] [ envie esta mensagem ]


Rádio on-line une favelas dominadas por facções rivais no Rio de Janeiro

MÁRCIA BRASIL
da Folha de S.Paulo, no Rio

Uma rádio comunitária transmitida pela internet está criando uma ponte entre duas favelas dominadas por facções criminosas rivais. A AfroReggaeDigital, criada por um grupo cultural da favela de Vigário Geral, com sede na comunidade vizinha --e "alemã" (inimiga)-- Parada de Lucas, ambas na zona norte da cidade.

Formada em parceria com a BBC de Londres e pelo AfroReggae, a rádio está no ar desde setembro e, além de emissora, atua também como escola de multimídia.

As aulas na AfroReggaeDigital são em um amplo estúdio que conta com equipamentos modernos. Lá, a jornalista inglesa Helen Clegg, 37, que deixou a BBC de Londres para montar a AfroReggaeDigital, dá aulas de locução, produção e redação jornalística em rádio. Helen também responde pelo conteúdo dos programas, escolhendo os temas que vão ser abordados e pesquisados.

A rádio web produz diariamente um programa apresentado pelos alunos dos cursos promovidos pelo projeto, chamado de "Vozes da Favela". Também há programas semanais que são apresentados por voluntários e artistas locais e internacionais.

De acordo com os responsáveis pela rádio, não há interferência do tráfico na programação musical nem no conteúdo veiculados pela rádio AfroReggaeDigital.

"Inicialmente iríamos montar uma rádio convencional, para atingir um número maior de ouvintes", conta um dos criadores do projeto, o inglês Damian Platt. "Mas, para evitar algum tipo de interferência externa [do tráfico], optamos pelo sistema digital, que perde em audiência, porém ganha em qualidade de som, em programação independente e no alcance, já que pode ser ouvida em todo o mundo."

Por meio da integração das duas comunidades, a rádio busca a paz entre comandos opostos. O Grupo Cultural AfroReggae é sediado na favela vizinha, Vigário Geral, controlada pelo CV (Comando Vermelho), facção criminosa inimiga do TCP (Terceiro Comando Puro), de Parada de Lucas. Ela pode ser acessada pelo endereço www.afroreggaedigital.com.



Escrito por Magaly Prado às 11h28
[ ] [ envie esta mensagem ]


BUÑUEL E DALI NA MEC FM: RECOMENDO

três mais um cão

Em fevereiro o Festival de Berlim vai exibir uma cópia restaurada do curta-metragem    UM CÃO ANDALUZ (1929)          filme de estréia do cineasta espanhol     LUIS BUÑEL        escrito em parceria com   SALVADOR DALI       que também atua. Esta amizade teria outro vértice na presença de    FEDERICO GARCIA LORCA       poeta e músico. O programa MÚSICA EM CENA da quinta-feira dia 21 de fevereiro dirige seu foco para esta amizade e suas colaborações. (por Lilian Zaremba)

    



Escrito por Magaly Prado às 15h55
[ ] [ envie esta mensagem ]

© 2004. Todos os direitos reservados. Expressamente proibido a publicação e/ou utilização deste conteúdo sem autorização.
Meu humor:

  Escutando todas!

Magaly Prado é jornalista, radiomaker, professora universitária e escritora. Doutoranda em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP e bolsista da CAPES - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Ensino Superior. É Mestre em Tecnologias da Inteligência e Design Digital pela PUC-SP, pós-graduada em Comunicação Jornalística pela Faculdade Cásper Líbero, onde cursou Jornalismo e na qual ministra aulas de Produção de Rádio e Radiojornalismo II e pesquisa Publicidade no Rádio, no CIP –Centro Interdisciplinar de Pesquisa. Ministra também aulas de Linguagem Aplicada ao Audiovisual, Jornalismo On-line e Livro-Reportagem na FMU –Faculdades Metropolitanas Unidas– e Introdução ao Jornalismo na ESPM –Escola Superior de Propaganda e Marketing. É professora convidada do MBA de Rádio e TV da Universidade de Tuiuti do Paraná (UTP), no qual ministra Roteiro Avançado de Rádio. Publicou os livros "Produção de Rádio - Um Manual Prático" pela editora Campus/Elsevier, em 2006, e “Webjornalismo” pela LTC/ GEN, em 2010, quando criou uma página com informações aumentadas em .
 Leia mais
 Cursos de Rádio
 Palestras sobre Rádio

 Fale Conosco
 Responda quatro perguntas sobre rádio na web, por favor

 Eventos do mês

  Ouça entrevista com a Magaly

Histórico:
Ver mensagens anteriores

 Sugestão de leitura

LINKS
 Radio Uol
 Site da minha filhota
 Ondas Curtas
 Helio Ribeiro
 Uolk


Pesquisas interessantes:
  O que a classe "A" ouve?

Matérias polêmicas:
  89FM vira 89 Pop
  Vem aí a rádio MTV FM
  Record compra Guaíba AM/FM

  SulAmérica Trânsito FM

Entrevistas especiais:
  Paulo Bonfá
  João Gordo detona 89

  Paulo Lopes
  Fiori Giglioti





Por problemas técnicos, este contador zerou e recomeçou a contar a partir de novembro


powered by ODEO